Real Madrid faz 3 a 1 no Liverpool e conquista o 13.º título da Liga dos Campeões

Confira o vídeo com os melhores momentos. O Real Madrid segue mandando na Europa. Neste sábado (26), em uma final eletrizante contra o Liverpool, venceu por 3 a 1, no estádio Olímpico de Kiev, na Ucrânia, e confirmou a sua hegemonia no continente ao conquistar o seu 13.º título da Liga dos Campeões na história, sendo o terceiro em sequência e o quarto nas últimas cinco temporadas – só o rival Barcelona em 2015 se intrometeu nesta série.
Os gols saíram no segundo tempo e aconteceram das maneiras mais inacreditáveis possíveis. O primeiro do Real Madrid veio em uma falha do goleiro alemão Karius e esperteza de Benzema. O Liverpool empatou com Sadio Mané, mas aí apareceu o talento do galês Gareth Bale, que havia acabado de entrar em campo, com um lindo gol de bicicleta. No final, novo erro de Karius, desta vez de forma bisonha, e outra bola nas redes do jogador de País de Gales para o maior campeão europeu.
A notícia triste da partida foi a lesão série que o atacante egípcio Mohamed Salah, do Liverpool, sofreu no primeiro tempo. Em dividida com o zagueiro Sergio Ramos, caiu em cima de seu ombro e teve de deixar o campo chorando muito. O craque do time inglês corre o risco de ter de fazer uma cirurgia e, assim, ficar de fora da Copa do Mundo da Rússia, que começará no dia 14 de junho.
Quem volta a fazer história é o francês técnico Zinedine Zidane. Com o terceiro título consecutivo europeu como técnico da equipe espanhola, um feito inédito desde que o torneio passou a contar com o seu formato atual de disputa, adotado a partir da temporada 1992/1993, também se torna o terceiro treinador a ser tricampeão europeu de clubes em todos os tempos, se igualando ao inglês Robert Paisley – que faturou a taça em 1977, 1978 e 1981 pelo próprio Liverpool – e ao italiano Carlo Ancelotti – este vencedor com o Milan em 2003 e 2007, antes de voltar a triunfar justamente com o Real Madrid, em 2014.
O JOGO – Em campo, o Liverpool surpreendeu o Real Madrid nos primeiros minutos com uma marcação alta, fazendo pressão na defesa espanhola, e rapidez quando tinha a bola nos pés. Como esperado, o trio de ataque inglês se movimentava bastante e confundia os defensores rivais. Nos primeiros 30 minutos, o goleiro Keilor Navas teve que trabalhar, especialmente em dois chutes do lateral-direito Alexander-Arnold.
O panorama da partida mudou totalmente a partir do 30.º minuto. Em uma dividida com Sergio Ramos, Salah levou a pior na queda e ficou caído sentindo muitas dores no ombro. O egípcio teve de ser substituído por Lallana e deixou o campo chorando muito. O Liverpool sentiu muito a saída de seu craque e a partir daí até o intervalo só deu Real Madrid.
Aos 40 minutos, Benzema arriscou de fora da área e a bola passou perto da trave direita do Liverpool. Pouco depois, aos 42, o centroavante francês marcou e saiu comemorando, mas logo em seguida mostrou espanto com a anulação do gol. Após cruzamento, Cristiano Ronaldo cabeceou e Karius fez uma defesa à queima-roupa. No rebote, Benzema estava impedido no lance.
Mas o melhor do jogo ficou para depois do intervalo. Em 20 minutos eletrizantes, a final foi decidida. Aos cinco minutos, em um lance no mínimo bizarro, o Real Madrid abriu o placar. Após lançamento para a área do Liverpool, Karius chegou antes de Benzema e fez a defesa. Ao tentar sair jogando para o lado direito, acertou o pé do francês, que de primeira colocou a bola no fundo das redes.
Parecia que o Liverpool sentiria o baque de estar atrás no placar e sem Salah. Mas a reação veio rapidamente. Aos nove minutos conseguiu o empate. Após cobrança de escanteio de Milner, Lovren escorou de cabeça e o senegalês Sadio Mané aproveitou para, na pequena área, deslocar Navas e mandar a bola para as redes. Foi o 10.º gol dele na Liga dos Campeões, que empatou com Roberto Firmino e Salah na artilharia do time inglês.
Tudo igual no placar e equilíbrio em campo. Isso até aparecer um jogador que saiu do banco de reservas e resolver tudo a favor do Real Madrid. Aos 15 minutos, Gareth Bale entrou no lugar de Isco e já aos 18 “imitou” o seu companheiro Cristiano Ronaldo – contra a Juventus, em Turim – e marcou um lindo gol de bicicleta, com o pé esquerdo, após cruzamento de Marcelo.
No intervalo de 19 minutos entre o gol de bicicleta e a falha bisonha de Karius, que resultou no terceiro do Real Madrid, o Liverpool fez de tudo o que podia para obter o empate. Jürgen Klopp colocou Emre Can em campo, mandou todo seu time para frente e o máximo que conseguiu foi um chute de Mané de fora da área, aos 24, que desviou no caminho e bateu na trave esquerda de Navas.
No momento em que o clube inglês tentava o empate, a pá de cal nas pretensões inglesas veio aos 38 minutos com o erro do seu goleiro alemão. Gareth Bale recebeu na intermediária pela direita e levou a bola para frente. Ajeitou para o pé esquerdo e soltou a bomba. Aparentemente tranquilo na jogada, Karius tentou segurar a bola, mas a deixou escapar entre as mãos e a viu entrar mansamente no gol. Era o fim para o sonho do Liverpool.
FICHA TÉCNICA
REAL MADRID 3 x 1 LIVERPOOL
REAL MADRID – Navas; Carvajal (Nacho), Varane, Sergio Ramos e Marcelo; Casemiro, Kroos, Modric e Isco (Gareth Bale); Cristiano Ronaldo e Benzema (Asensio). Técnico: Zinedine Zidane.
LIVERPOOL – Karius; Alexander-Arnold, Lovren, Van Dijk e Robertson; Wijnaldum, Henderson e Milner (Emre Can); Salah (Lallana), Roberto Firmino e Sadio Mané. Técnico: Jürgen Klopp.
GOLS – Benzema, aos 5, e Sadio Mané, aos 9, e Gareth Bale, aos 18 e aos 37 minutos do segundo tempo.
CARTÃO AMARELO – Sadio Mané (Liverpool).
ÁRBITRO – Milorad Mazic (Fifa/Sérvia).
RENDA E PÚBLICO – Não disponíveis.
LOCAL – Estádio Olímpico, em Kiev (Ucrânia).
Tecnologia do Blogger.